Mentalidade de Gafanhoto

Atualizado: 30 de Mai de 2019

Mensagem do dia 31/03/2019

Pastor Jefferson Borges


De onde surgiu isso? Está em Números 13:33: “Vimos também gigantes, os descendentes de Enaque, diante de quem parecíamos gafanhotos, a nós e a eles”.

Veremos sobre essa experiência desses homens, que chegaram à conclusão de que tinham de se comparado com gafanhotos, se sentiram pequenos demais, acharam que não iriam conseguir resolver aquilo que eles queriam e conquistar aquilo que eles desejavam.

Você tem desejo no coração de conquistar algo, desafios, tem projetos, tem sonhos; mas tem barreiras para enfrentar e não está conseguindo, muitas vezes chega a conclusão: “ah, nós desistimos!”

Eles tinham promessas de Deus, promessas de conquista de uma terra, um solo fértil, que emana leite e mel. E o propósito de Deus era: preparar um povo para que, através dele, viesse o Messias, Jesus Cristo! Deus, então, escolheu o povo de Israel para essa missão de receber aquele que seria o Salvador do mundo. Deus quis resolver o problema do homem (o pecado), para isso, Ele tinha que enviar o Salvador dEle e, pagar o preço de morte. E Ele (Jesus) em seu imenso amor, decide então morrer no lugar do homem.

O projeto de Deus para nós, é um projeto de fidelidade e de aliança. Mas Deus espera de nós uma contrapartida de fidelidade, de obediência, de honra, não ser rebelde, não ter medo. Deus espera isso em nós!

Moisés, sabiamente, destaca um líder de cada tribo, com a missão de preparar um relatório por meio da observação da terra prometida. Depois de quarenta dias, eles trazem um relatório negativo e, descrevendo, dizem: a terra é boa e fértil, mas não é para nós, pois existem cidades fortificadas, gigantes, povo guerreiro, todos mais fortes e inimigos de Israel; sentimo-nos como gafanhotos às nossas vistas e às vistas deles; o Senhor diz que é, mas nós não acreditamos. Dois tiveram relatório diferente, Josué e Calebe, e eles falaram: sim, nós fomos lá, nós vimos a terra muito boa, e nós queremos tomar posse do que Deus falou: que a gente pode lutar, que a gente deve lutar, confiar nEle e vamos conquistar essa terra; e eles enfrentaram oposição por causa disso; tentaram apedrejá-los, vaiaram eles, fizeram movimento contra eles.

Por que eles tiveram esses relatórios diferentes? O que motivou o coração deles? Na verdade, a diferença foi a forma como eles viram aquela situação, aquele obstáculo, aquele problema que eles tinham que resolver. E é assim na nossa vida. Os dez viram a realidade da situação e chegaram a conclusão de que: não dá, porque o que nós vimos é impossível de resolver, ou seja, eles se basearam naquilo que eles viram com os olhos.

Os outros dois viram a mesma coisa que os dez, mas eles foram além daquilo que eles viram com os olhos físicos, eles olharam com os olhos da fé. Essa é a grande diferença. Deus estava mostrando duas formas de se reagir a um problema, toda questão está no seguinte: como se reagir às situações diversas da vida?


- A maneira de ver as circunstâncias: Como vemos os problemas da vida? Como reagimos diante dessas dificuldades? Temos que olhar com os olhos da fé! A nossa fé vai ser testada exatamente quando estivermos diante de um obstáculo, diante de um problema, então Deus vai ver como está a nossa fé. Paulo fala em 1 Coríntios 16:9: uma porta ampla e promissora se abriu para nós, mas nós teremos muitos adversários. Deus fala: eu abro a porta, mas você que vai ter que lutar, que vai ter que conquistar! Deus, então, na sua graça e na sua misericórdia, promete àquele povo uma nova direção, mas eles teriam que conquistar aquela terra. Sabe por que Deus fala em conquistar e batalhar e lutar? Porque ele sabe que o ser humano só valoriza aquilo que ele “rala” para conquistar, aquilo por que ele luta. Deus, quando quer dar algo, quer que a gente valorize. “Assim fixamos os olhos, não naquilo que se vê, mas naquilo que não se vê! Pois o que se vê, é transitório, mas o que não se vê, é eterno” , 2 Coríntios 4:18.

Os dez fixaram os olhos no problema, os dois, no invisível. Muitas vezes você fez tudo certo, mas é uma prova de Deus, Deus vai testar a fé. A vida cristã não é sucesso o tempo todo. Em Jó 42:5 : “Senhor, antes eu te conhecia de ouvir falar, mas agora eu te conheço de contigo andar”. Tem diferença? Sim ou não? Deus quer um nível de relacionamento com cada um de nós, de intimidade. Ou você confia ou não confia, você entrega seu coração de verdade ou não entrega, não dá para ser “meia-boca” com Deus. Deus fala que tem planos de futuro, de prosperidade, um plano de esperança para nós (Jeremias 29:11). A benção de Deus não é casual.


- Quando damos lugar ao medo: O Salmo 128diz : “bem aventurado aquele teme ao Senhor e anda nos seus caminhos, comerá do fruto do seu trabalho, será feliz e próspero”. Como sei que é para o homem que Deus está falando? Olhe o versículo 3: a sua mulher será com a videira frutífera, os filhos serão como brotos de oliveira ao redor da mesa. Isso é palavra para o homem. Não está assim? É porque você está fixando os olhos no problema, comece a olhar com os olhos da fé e você começará tratar o problema diferente, você começa a enxergar diferente, começa a agir diferente. Você acha que Deus está mentindo? A Bíblia diz que Deus não é homem para mentir (Números 23:19), senão não valeria de nada, mas, quando sabemos que é verdade, que essa palavra tem poder, começamos a dar crédito a ela. Em várias partes da Bíblia, Deus coloca uma promessa, mas antes vem um mandamento. Pois Deus está falando: “eu quero dar isso para você, mas você precisa se comportar dessa forma, você precisa honrar, se não honrar, não vou dar, pois você vai achar que outro deu, vai achar que é mérito só seu, que foi coincidência”. É assim que Deus trata os filhos dele. Sabe qual é o problema do medo? Ele afasta a nossa fé! Mas porque surge o medo? A Bíblia diz: o medo é falta de confiança em Deus (Provérbios 14:26;27), o medo é falta de aperfeiçoamento no amor a Deus. No amor não há medo, pelo contrário, o perfeito amor expulsa o medo, aquele que tem medo não está aperfeiçoado no amor

( 1 João 4:18). Nos momentos difíceis, nos momentos de luta, de conquista, lembre: Deus me ama e eu confio nele e eu sei que ele não vai me abandonar e não vai me deixar!


- Deixamos essa mentalidade de inferioridade, de escravidão permanecer na nossa vida: A Autoimagem errada significa que nos vemos mal, incapazes, nos vemos diferente do que Deus nos vê. Deus quer que tenhamos uma autoimagem equilibrada, por isso que ele diz: ninguém tenha de si mesmo um conceito mais elevado do que deve ter (Romanos 12:3). Ou seja, não é para ficar se achando, eu sou o cara, eu faço, eu aconteço. Mas ele diz, tenha um conceito equilibrado e de acordo com a medida da fé. Deus quer que tenhamos um equilíbrio em relação à autoimagem. Como Deus nos vê? Esse é o grande segredo. O problema daqueles dez é que eles aprenderam a viver sem conquistas, sem ter vitórias e se acostumaram a fazer aquele serviço de sempre e alguém a trazer comida para eles. E quem tem essa mentalidade gafanhoto não vai muito longe. Porque, para viver como escravo, não precisa de fé, só basta trabalhar, e vai receber uma comida e vai sobreviver. Mas Deus não nos chamou para a escravidão!


- Como Deus me vê: vocês são geração eleita, sacerdócio real, nação santa, povo exclusivo de Deus, para anunciar as grandezas daquele que os chamou das trevas para a sua maravilhosa luz (1 Pedro 2:9). É assim que Deus nos chama, essa é a autoimagem que ele quer que tenhamos. Você foi escolhido por Deus! Povo exclusivo de Deus, de propriedade exclusiva de Deus, mas, para quê isso? Só para curtir, para ter o nome, para ficar esperando o céu? Não! Deus quer um compromisso nosso: anunciar as grandezas de Deus. Comece a falar das grandezas que Deus tem feito na sua vida, comece a anunciar o que Deus tem feito na sua vida, na sua família, aos seus amigos, no seu local de trabalho, onde você estiver passando, comece a anunciar as grandezas de Deus. Porque é isso que ele está falando para fazermos. Aí não tem mentalidade gafanhoto, esse pensamento de morte, não tem depressão, não tem derrota, não tem desânimo, porque você é um povo exclusivo de Deus, você é escolhido, você é geração eleita, você é nação santa, sacerdócio real, e o diabo vai vir com mentiras, e vai dizer que isso tudo é mentira, que você está cheio de problemas, que você vai sair dessa igreja e amanhã vai voltar a sua realidade com problemas em casa, problemas financeiros, doenças, problemas com filhos; e o diabo vai mentir na sua mente: e aí, o que resolveu? O que adiantou ser geração eleita? O que adiantou ser sacerdócio real? O que adiantou ser povo exclusivo de Deus? E ele vai querer que você olhe para os problemas e não para Deus. Tá vendo, olha o problema aqui; Deus fala não fixe os olhos nos problemas, olha como Josué e Calebe, que olharam para o invisível, aquilo que era impossível aos outros, foi visto como possível por eles. Fixe os olhos naquilo que é invisível, porque o visível todos já fazem, o visível não precisa de fé. É isso que nosso Deus fala, você crê nisso?

Tome uma decisão hoje de confiar totalmente, de assumir uma identidade em Cristo, de ter a mente de Cristo, de ter a autoimagem de como Deus nos vê, como povo exclusivo, como sacerdócio real.

SOBRE NÓS

A Nova Igreja Batista (NIB) do Paraná em Cascavel é uma igreja  para toda a família, que acredita na alegria de ser cristão e no prazer de compartilhar essa alegria com outras pessoas, para que recebam a Palavra de Deus, amor e salvação em Cristo. 

Dízimos e Ofertas

Banco do Brasil

Ag. 4693-0  |  Conta 12508-3

Sicoob

Ag. 4370-2  |  Conta 26490-3

Santander
Ag: 0949 | CC: 13001667-8

Cnpj: 08.683.688/0001-63

(45) 3035-4190 / 99935-2261 (VIVO)

Rua Carlos de Carvalho, 3289  

Centro (Esquina com Rua Santa Catarina) - CEP 85801-130

Cascavel – Paraná – Brasil

nibpr@hotmail.com

  • Grey Facebook Icon
  • Cinza ícone do YouTube

© 2018 por Nova Igreja Batista do Paraná.